Maior plantação europeia de Cannabis medicinal fica em Portugal

Atualizado: Fev 17

A área que a Cannabis medicinal ocupa estende-se por estufas, viveiros, incubadoras de plantas e uma unidade de transformação. Atualmente, existem cerca de 45 mil pés da planta espalhados ao longo de nove hectares



A cannabis foi uma das primeiras plantas cultivadas pelo Homem. É a substância ilícita mais utilizada nos Estados Unidos da América e também uma das mais controversas. A cannabis deriva de certas cepas da planta Cannabis sativa, cujas flores e folhas contêm compostos químicos designados canabinoides. Já os canabinoides, quando ingeridos ou inalados, produzem efeitos psicotrópicos e sobrecarregam os níveis naturais de tetraidrocanabinol (ou THC) nos sistemas nervoso central e cardiovascular.

O THC diminui a quantidade de informação transmitida pelos neurotransmissores, resultando em efeitos psicoativos como falta de coordenação, perda de memória, alucinações e aumento de apetite. No entanto, cada vez mais pessoas utilizam a cannabis e os seus derivados para tratar patologias como a epilepsia e o cancro. Mas que surpresas pode esconder? Como pode afetar o corpo humano quando ingerida ao longo de uma vida? O que podemos descobrir sobre o nosso sistema neurológico a partir do seu consumo? A ciência avança a passos largos, mas ainda existem muitas questões por responder.


Cannabis medicinal: da proibição à regulamentação